Tesouros do Céu

Mateus 6, 19-23

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:

 19 Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a ferrugem e as traças corroem, onde os ladrões furtam e roubam.

20 Ajuntai para vós tesouros no céu, onde não os consomem nem as traças nem a ferrugem, e os ladrões não furtam nem roubam.

21 Porque onde está o teu tesouro, lá também está teu coração.

22 O olho é a luz do corpo. Se teu olho é são, todo o teu corpo será iluminado.

23 Se teu olho estiver em mau estado, todo o teu corpo estará nas trevas. Se a luz que está em ti são trevas, quão espessas deverão ser as trevas!
O Evangelhista Mateus fora  muito feliz em nos trazer essa importante revelação do Mestre Nazareno. Nessas poucas e importantíssimas linhas, Jesus nos mostra que a grande dificuldade pela qual vive a humanidade, tem como fonte geradora o materialismo, a busca pelo poder, a ganância e consequentemente o afastamento das coisas de DEUS. Por essa forma “destorcida” de poder  nasce a corrupção moral no homem, e como conseqüência, um regime opressor, que conduz ao sofrimento, pois a cada um será dado o fruto, conforme a semente jogada ao solo.

  As guerras tem como seu estopim, a ganância, a busca excessiva pelo poder, e a ambição de possuir maior concentração de riquezas. Os homens se digladiam por faixas de terras, pelo petróleo, por água, e pela corrida armamentista, que traz a destruição, o sofrimento, grandes perdas materiais e de vidas humanas, sempre difíceis de recuperar do ponto de vista Espiritual.

Qual a verdadeira finalidade em acumular poder, riquezas ?

Neste sentido, as palavras de Jesus, contidas no evangelho nos convidam para uma reflexão sobre:

Quem somos ? Onde estamos ? Para onde vamos ? Por que estamos aqui ?

Os dizeres de Jesus nos ensinam que necessitamos descobrir o porque de estarmos aqui. De buscar compreender o fundamento da nossa existência. Uma vez que chegarmos a esse entendimento, saberemos onde e em quem depositar nossa confiança, bem como a maneira pela qual devemos proceder, a fim de colher daquilo que plantarmos, como nos disse Paulo de Tarso. Enquanto não temos essa compreensão, caminharemos em constante estado de desequilíbrio, errantes em tudo que fazemos e nos pondo em situações em que nós mesmos sairemos prejudicados na caminhada evolutiva.

 Jesus nos diz que, a preocupação acentuada em acumular riquezas ou poder neste mundo, é incorrer no perigo de perdê-la totalmente um dia, pois ela pode ser facilmente destruída ou perdida, uma vez que a vida corpórea tem curta duração. Ter bens materiais, dinheiro, conforto, faz parte da vivencia aqui na terra, e não é “errado”, pois estamos num plano material. O erro reside no mal uso desses recursos disponibilizados, e a maneira desequilibrada pela qual aspiramos possuí-los. O pensamento, a vibração e o sentimento emanado, isso sim pode desequilibrar o ser .

 A resposta a estas  indagações, nos dará sabedoria para entender em que devemos depositar nossos pensamentos, nossas vibrações, nossos sentimentos e nossa confiança. Nos dará ainda, segurança de que nada nem ninguém poderá destruir o tesouro espiritual/moral que ajuntaremos, nem mesmo a própria ação do tempo ou a morte do corpo físico.

Como fazer isso? Como encontrar esses tesouros?

A Doutrina Espírita, enquanto consolador prometido por Jesus, vem depois de muitos séculos reavivar os ensinamentos de Jesus, colocando-o como nosso modelo e guia e nos conscientizando do nosso papel, frente aos desígnios de DEUS e a evolução do Espírito Imortal.

 Necessitamos fazer nascer urgentemente uma sociedade  com uma vivência fraternal, singular, ímpar, que venha a favorecer a partilha e a ajuda mútua, o amor, a caridade, a ação em prol da coletividade… e isso só se faz com instrução, amor e reforma íntima. Através desses fatores, teremos todo um terreno para semear boas obras e começar ajuntar nossos tesouros.

Para percebermos esses preciosos tesouros, se faz necessário ter “olhos novos”, um interior completamente renovado pela evangelização e a vivencia do que se aprende com ele. Precisamos demasiadamente ver por essas novas córneas, por que a lâmpada do corpo é o olho : “os olhos são como uma luz para corpo” (Lc 11,34). E essa luz, chamada conhecimento, agora vem para dissipar toda escuridão da ignorância em nossas vidas. Para que tudo isso possa acontecer, é de fundamental importância viver conforme as leis divinas.

Onde está a sua riqueza, aí estará o seu coração. Então tratemos de depositar na conta corrente do amor, na agencia da caridade, no banco de Jesus, os tesouros que ele nos ensinou a conquistar, de forma que quando chegarem os tempos da “ Vida Maior”, a vida Espiritual, possamos utilizá-los para a Glória de Deus e para o nosso aperfeiçoamento.

MUITA PAZ A TODOS !!!

Douglas Gallo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s