Multiplicando Paes e Peixes

Lucas 9, 11-17

11 Logo que a multidão o soube, o foi seguindo; Jesus recebeu-os e falava-lhes do Reino de Deus. Restabelecia também a saúde dos doentes.

12 Ora, o dia começava a declinar e os Doze foram dizer-lhe: Despede as turbas, para que vão pelas aldeias e sítios da vizinhança e procurem alimento e hospedagem, porque aqui estamos num lugar deserto.

13 Jesus replicou-lhes: Dai-lhes vós mesmos de comer. Retrucaram eles: Não temos mais do que cinco pães e dois peixes, a menos que nós mesmos vamos e compremos mantimentos para todo este povo. (Pois eram quase cinco mil homens.)

14  Jesus disse aos discípulos: Mandai-os sentar, divididos em grupos de cinquenta.

15 Assim o fizeram e todos se assentaram.

16 Então Jesus tomou os cinco pães e os dois peixes, levantou os olhos ao céu, abençoou-os, partiu-os e deu-os a seus discípulos, para que os servissem ao povo.

17 E todos comeram e ficaram fartos. Do que sobrou recolheram ainda doze cestos de pedaços.

 

A passagem que acima,  se nos apresenta como um acontecimento que à luz da razão humana, parece inexplicável. Contudo, de posse do conhecimento Espírita, das leis divinas, das diversas forças que vertem do Criador, pelo cosmo todo,  e principalmente um pouco mais conscientes de nossas limitações intelectuais diante de DEUS, sabemos que tal ocorrido foi, e ainda é possível. E nisso nada há de sobrenatural, inexplicável ou místico.

 Numerosa multidão seguia Jesus até uma região “deserta”. Muito embora, não tendo outras preocupações e nem mesmo a de para onde estavam indo, aquela multidão seguiu fielmente ao Rabi de Nazaré, bebendo da fonte pura de sua sabedoria e bondade. Estando distante da cidade, com a noite que se aproximava, perceberam que para voltar ficaria difícil, estando longe, poderiam desmaiar com a fraqueza e o cansaço. Sem contar que crianças , idosos e enfermos acompanhavam a Caravana de Luz. Ficar, também se tornara difícil situação, pois não havia alimentos para todos.

Aproveitando do que os discípulos dispunham, que eram 5 pães e 2 peixes. Mandou que o povo, aproximadamente 5000 pessoas, se assentasse em grupos de 100 e de 50 indivíduos.

 Usando de sua bondade e da conexão com o Pai, o Mestre Jesus, dotado de incalculáveis faculdades fluídicas e magnéticas processou ali um fenômeno físico que possibilitou a multiplicação daqueles materiais, de forma a alimentar a todos os necessitados que ali esperavam: “…E todos comeram e ficaram fartos. Do que sobrou recolheram ainda doze cestos de pedaços…”

Do ponto de vista Científico-Espirita podemos explicar esse fenômeno, entendendo que tudo o que existe no universo é composto basicamente de um só elemento, o fluído cósmico universal, e suas diversas combinações com outros fluídos específicos para cada tipo de matéria, além das forças magnéticas atuantes em todos os corpos, em todas as partes do Universo.

Se assim não fosse, não teriam sentido as palavras do próprio mestre, quando proferiu que  “não veio destruir nenhuma lei, mas sim fazê-las cumprir, e ampliar o seu entendimento ”.

Outra passagem que evidencia isso é quando o Mestre nos disse: “ Vós sois Deuses, e tudo o que eu faço, podeis também fazer, se assim quiserdes de todo o coração…”. Ou seja, todo o que foi feito por ele, tem uma explicação física, e está dentro do que se permite para um planeta como o nosso. As leis da física, química, biologia, eletromagnetismo,entre outras, estão todas disponíveis aqui nesse laboratório Divino para o uso do homem, conforme seu adiantamento, intenção e necessidade. Contudo, os fatores que bloqueiam todos esses eventos, são ligados as imperfeições morais da humanidade, que reduzem o padrão vibratório do espirito, tornando o homem cada vez mais materializado, e por assim, mais escravizado a condições precárias e grotescas de energia.

Jesus ao praticar esse fenômeno, pôs ali, naquelas energias, todo o seu amor e seu carinho. Deu o melhor de si !! É preciso sim, ter a compaixão que Jesus teve, esse amor pelos irmãos e repartir o que se tem de melhor. Isso sim é um mecanismo de elevação energética. Repartir algo não quer dizer só coisas materiais. Se reparte amor, felicidade, fraternidade, solidariedade, humildade…

Nos dias de hoje, esse o alimento ( o Espiritual ) que é mais escasso para a humanidade e cabe a todos nós, que temos um pouco disso, repartir e multiplicar isto junto ao nosso próximo, chorar com os que choram e se alegrar com os que se alegram.

Se os grandes líderes do mundo, entendessem pelo anúncio do evangelho e aprendessem a viver esse amor, a fome no mundo não continuaria a ser somente temas em debatas, artigos, livros, revistas e teses para doutorados e nem estaria circunscrita a coisas materiais.

A humanidade tem fome de amor !!

 Seguir Jesus, nosso modelo e guia, é sempre a escolha acertada. Ele nos é justo e fiel, e com ele, nada nos faltará…

MUITA PAZ A TODOS !!

Douglas Gallo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s