Semeadura

 

Mateus 13, 1-9

 
1 Naquele dia, saiu Jesus e sentou-se à beira do lago.

2 Acercou-se dele, porém, uma tal multidão, que precisou entrar numa barca. Nela se assentou, enquanto a multidão ficava à margem.

3 E seus discursos foram uma série de parábolas.

4 Disse ele: Um semeador saiu a semear. E, semeando, parte da semente caiu ao longo do caminho; os pássaros vieram e a comeram.

5 Outra parte caiu em solo pedregoso, onde não havia muita terra, e nasceu logo, porque a terra era pouco profunda.

6 Logo, porém, que o sol nasceu, queimou-se, por falta de raízes.

7 Outras sementes caíram entre os espinhos: os espinhos cresceram e as sufocaram.

8 Outras, enfim, caíram em terra boa: deram frutos, cem por um, sessenta por um, trinta por um.

9 Aquele que tem ouvidos, ouça.

Na presente parábola Jesus nos considera como a terra a espera do plantio, a semente que o semeador, Deus Pai, espalha sobre a terra. Nem todos os textos são fiéis quanto a esses versículos, pois o certo seria escrever “palavra” com “P” maiúsculo como nos textos originais. O fato é que as traduções deixam muita margem para diversas formas de interpretar o mesmo assunto.

Ao consultar a Bíblia de Jerusalém que foi traduzida diretamente dos originais, veremos que nela, Palavra foi escrito corretamente, com “P” maiúsculo.

 No grego o termo que aparece em Jo 1,19 e em Mt 13,14 é o mesmo, a saber que significa Palavra, Verbo, mas enquanto traduz a pessoa de Jesus: “E a Palavra se fez carne a habitou entre nós!” Podemos pensar que  isso é apenas um detalhe, mas é um detalhe que muda todo o jeito de interpretar, isto é, Jesus é a “Palavra” que o Pai enviou ao mundo. Ele a espalha por toda a terra, mas nem todos os terrenos a acolhem. Simbolicamente, nos faz interpretar que a semente do bem, do conhecimento que o Mestre Jesus nos trouxe, infelizmente não é aproveitada por todas as pessoas, ou seja, por todos os “ tipos de solo”.

Podemos assim compreender a razão pela qual Jesus fala em parábolas e a quem ele quer tocar com estes ensinamentos: os líderes do povo são terrenos que entre espinhos ou pedras ou outras suscetibilidades, não acolhem a Palavra de Deus através dele, isto é, seus ensinamentos e seu exemplo.

O Pai é maravilhosamente bom, não poupa a Semente e a espalha fartamente em todo tipo de terreno, até mesmo sobre as pedras. Nos terrenos que estão prontos para recebê-la, os frutos são abundantes, muito acima de qualquer expectativa!

 

Vejamos como é curioso isso :

Se um agricultor ou um grande produtor rural ouvir essa parábola sem considerar o que dissemos até agora pode até pensar que Deus não entende nada de lavoura.

Meu Deus, como pode desperdiçar recursos, gastando semente em terreno sem condições de plantio?

Aqui vem a primeira grande lição da parábola no tocante ao Reino dos Céus: O Pai Celestial e o Plano Espiritual não pensam como nós homens e apostam todas as fichas mesmo onde as chances são mínimas de colher frutos porque não estão preocupados com o material, mas sim com a evolução espiritual de seus filhos e filhas queridos.

Deus nos enviou um grande Professor, nosso irmão e Mestre Jesus. Ofereceu-nos o que há de melhor e quantas vezes nós desperdiçamos essa oferta valiosa de seguir seus ensinamentos, de comer do fruto de suas verdades, de aprendermos o caminho da reforma íntima…essa valiosa semente sempre encontrou entre nós espinhos, pedras, terra seca, e nunca desistiu de sua nobre missão !!!

Está na hora de limparmos as ervas daninhas de nossos corações, remover as pedras de situações mal resolvidas pelo perdão, jogar fora  tudo aquilo que não presta, amolecer o solo seco pelo orgulho, com a água do amor, da gratidão,  adubá-lo com a humildade que reconhece em Deus sua única realização possível, para que quando a Semente “cair”, possamos dar frutos abundantemente (…e os frutos do Espírito são: amor, alegria, paz,fraternidade, gratidão, humildade, servidão, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança, domínio próprio…).

Essa dádiva chamada Jesus, é uma semente que foi enviada do céu para nós.  Seus ensinamentos, assim como a chuva e a neve descem do céu e para lá não voltam mais, mas vêm irrigar e fecundar a terra, e fazê-la germinar e dar semente, para o plantio e para a alimentação…

Tomemos então uma decisão confiando na graça do Senhor! Não desperdicemos  mais nosso  tempo. Voltemos-nos para nós mesmos, em reflexão, de maneira a examinar o nosso grau de aproveitamento nessa presente encarnação….o que fizemos…o que deixamos de fazer….o que podemos fazer ainda…

Acolhamos ao Cristo em nosso interior  escutando sua Palavra.

Tornemo-nos  plantação frondosa e verdejante que enche o mundo tão necessitado de frutos em abundância de amor e fraternidade!

MUITA PAZ A TODOS !!

Douglas Gallo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s