Escolhendo as provas da vida

escolha das provas

Não parece natural que os Espíritos escolham as provas menos penosas?

“Para vós, sim; para o Espírito, não. Quando ele está liberto da matéria, cessa a ilusão, e a sua maneira de pensar é diferente.” (Questão 266 de O Livro dos Espíritos – Allan Kardec.)

A reencarnação, sendo uma necessidade do processo evolutivo e do amadurecimento do Espírito, é uma lei abrangente, isto é, todos nós estamos submetidos a ela, acreditemos ou não, queiramos ou não.

E oportunidades de renascimento, na Terra, são inúmeras. Já reencarnamos muitas vezes e outras tantas ainda reencarnaremos em busca da nossa perfeição onde lograremos encontrar a paz que queremos e a felicidade que buscamos.

Assim, quando o Espírito tem condições de escolher, de decidir por si mesmo, participa da escolha do gênero das provas a que vai se submeter durante sua estada na Terra. É claro que uma reencarnação recebe a devida atenção dos técnicos espirituais, que deverão providenciar, juntamente com o reencarnante, os mecanismos, recursos e ambientação necessários para o sucesso do cometimento, uma vez que deverá ser elaborado um mapa do novo corpo, situação de nascimento, pais, etc.

Via de regra o homem procura pelas facilidades e pelos caminhos que lhe pareçam mais tranquilos e cômodos, isso, evidentemente, porque está observando apenas os dias presentes, sem conhecimento do seu passado espiritual. Às vezes, não se preocupando com o seu futuro, mas livre do corpo, ou seja, no Mundo Espiritual, o ser desencarnado tem sua visão ampliada, abrangente e pode, de acordo com o estágio de evolução, vislumbrar melhor e com mais profundidade seus reais objetivos de vida; é aí então que decide passar por experiências que possam possibilitar seu desenvolvimento espiritual, mesmo que para tanto conheça situações mais duras e provações mais árduas.

Dentro dessa ótica, age o Espírito como um aluno na intimidade do Educandário, buscando sempre novas lições e aprendizados, não importando se para isso tenha que debruçar mais horas sobre os livros e utilizar domingos e feriados para aprofundar observações.

O estudante consciente e ciente da necessidade e da importância de maiores esforços não deseja facilidade, mas procura dedicar-se mais, enfrentando dificuldade, pois entende que somente os mais bem preparados chegarão aos primeiros lugares, em qualquer lugar do universo. Dessa forma também atua o Espírito responsável, desejando provas mais determinantes, uma vez que já concluiu que os caminhos da facilidade e do comodismo não o levarão a lugar algum.

Jesus, querendo informar à humanidade que as lutas deverão ser a meta e a proposta de todos, ensinou: “entrai pela porta estreita, porque larga é a porta que leva à perdição.”

Assim, sendo a reencarnação uma incontestável lei geral e dentro dela existindo uma pauta de provas e experiências programadas que visam à evolução e ao amadurecimento do Espírito, e estando consciente, deve a criatura empenhar-se com denodo e firmeza visando colher as melhores lições possíveis, mesmo que enfrente inúmeras dificuldades, pois são elas que propiciam a valiosa oportunidade de ampliação dos nossos acanhados limites.

Em qualquer parte do mundo, sem esforço não há evolução. Pensemos nisso.

Jornal O Consolador
Waldenir A. Cuin
Ano 1 – N° 9 – 13 de Junho de 2007
Anúncios
Esse post foi publicado em artigos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s