Doação de orgãos sob a visão Espírita –

doação 3

(Apresentado ao público na Tribuna Jovem da Sociedade Espírita Círculo da Luz, em Porto Alegre/RS, em 31/10/ 2003)

Mauro Pilla
Instrutor da Escola Básica de Espiritismo da SECL e Expositor Espírita

1. Há nas Obras Básicas da Doutrina Espírita algum indicativo à doação de órgãos?
O que o Espiritismo diz quanto a doação de órgãos?
Na época de Allan Kardec, este assunto não era cogitado.

2. Qual a diferença entre morte e desencarnação?
A morte é biológica, a desencarnação é psíquica (apego à matéria).

3. Para que doar órgãos?
Para permitir que o nosso semelhante possa continuar vivendo no plano físico.

4. Que órgãos podem ser doados e quais os possíveis em vida?
Rim, parte do fígado e pulmão e medula óssea (em vida)
Rins, fígado, coração, pâncreas, pulmões, intestinos. Tecidos: Córneas e outros como pele, vasos sangüíneos, tendões e ossos . (após a morte)

5. Quando o corpo para de funcionar, já não precisamos de nossos órgãos?
Após a morte biológica não nos são mais úteis os órgãos.

6. Quanto tempo recomenda-se, após a morte, para retirar os órgãos do doador?
48 a 72 horas

7. Existe um momento certo para cremar um corpo?
Não, depende do grau de desprendimento do espírito. Por prevenção recomenda-se 72 horas de espera.

8. Quanto tempo demoramos para nos desligar completamente do corpo material (desencarnação)?
O tempo proporcional ao nosso apego material.

9. Mesmo depois da morte, sente-se dor quando é feita a retirada dos órgãos?
O Espírito desencarnado sofre com a extração dos órgãos, na autópsia ou na cremação?
Sim, quando não ocorreu a desencarnação.

10. Em que momento os médicos liberam os órgãos para a doação após a morte?
Após aplicado o teste de apnéia (10 minutos), e constatada a morte tronco-encefálica.

11 O estado de morte tronco-encefálica é um momento seguro para se fazer a retirada de órgãos para transplantes, sem perturbar o Espírito do doador?
No atual estágio da medicina humana ainda é o melhor método de avaliação clínica, porém no futuro será aperfeiçoada para garantir absoluta segurança ao doador.

12.Quando podemos saber se os órgãos de um familiar que está em coma podem ser doados?
Estado de coma não é estar morto, portanto não deve doar os órgãos imprescindíveis à vida, somente quando constatada a morte tronco-encefálica.

13.Num caso em que a família opta pela doação, mas seu ente querido, desinformado sobre a continuação da vida, nunca comentou com alguém sobre isso, como ele se sentiria no plano espiritual?
Num primeiro momento, uma sensação desagradável, porém a seguir compreenderia o bem que foi feito e felicidade pessoal.

14. A doação de órgãos pode causar obsessão?
Excepcionalmente quando o espírito (doador), for endurecido ou muito apegado à matéria.

16. As emoções e sentimentos, defeitos e qualidades influenciam o comportamento do receptor?
Há pessoas que mudam de comportamento ao receberem um órgão. Por que?
Impressão psicológica. Nada a ver com o órgão doado.

17.Existe algum tipo de assistência por parte do plano espiritual em conseqüência da doação?
Normalmente, sim.

18. Doar órgãos pode trazer alguma complicação para o Espírito após o desencarne?
Somente percepções psíquicas que desaparecem após auxílio e compreensão.

19.O que acontece com o nosso perispírito em caso da doação dos órgãos?
Permanece inalterado.

20. Segundo alguns, quando se doa órgãos, o perispírito é lesado e ainda causa influência na próxima encarnação. André Luiz, por exemplo, levou as impressões de câncer de intestino para o mundo espiritual. Se levamos os estigmas das doenças, também levaríamos a retirada dos órgãos e o Espírito sofreria horrores. Mesmo quando é constatada a morte cerebral, o espírito continua no corpo e sofre por isso?
Como já foi dito, o perispírito não sofre lesões com a doação de órgãos, assim como com cirurgias no plano físico. A má utilização do nosso organismo é que efetivamente lesiona nosso perispírito para futuras reencarnações. Após a morte do corpo físico, o espírito poderá ou não estar junto ao seu corpo, dependendo de seu apego à matéria

21. Havendo tanta controvérsia ao padrão da morte cerebral, o que nos coloca a questão da incerteza se o Espírito já se acha desligado da matéria, será que a doação de órgãos alcançará maiores resultados quando os médicos do futuro puderem trabalhar também no plano espiritual?
Certamente.

22. O que alteraria, em relação ao planejamento espiritual, na existência da pessoa que vai receber um órgão?
Maior tempo no plano físico para refletir sobre sua vida e uma nova oportunidade para cumprir sua programação evolutiva.

23. A pessoa que recebe a doação de um órgão fica com algum vínculo com o perispírito do doador?
Não, a não ser que seja impressionável e, nesse aspecto, apenas psicológica.

24. Por que alguns transplantes são rejeitados?
Quando ocorre a rejeição, isso pode ser relacionado ao fato do Espírito doador não estar preparado para isso?
A rejeição dos órgãos ocorre devido à incompatibilidade existente entre o fluido vital do doador e do receptor?
A rejeição está diretamente vinculada ao merecimento do doador e dos níveis vibratórios do doador/receptor.

25. Uma pessoa que se suicidou, mas deixa uma carta doando seus órgãos, é culpada ou inocente?
Continua sendo um suicida. Seu gesto amenizará o sofrimento.

26.Segundo o pesquisador e projeciologista Waldo Vieira, não seria aconselhável a recepção de órgãos de suicidas em um transplante, devido a graves prejuízos para o psiquismo do transplantado. O que pensar disso?
Se o receptor for equilibrado e esclarecido sobre o assunto e tiver merecimento suplantará esta influência psíquica.

27.Com relação às possíveis complicações de um doador suicida, a Espiritualidade amiga não poderia atuar de forma a harmonizar essas energias, para que esta pudesse se tornar compatível com o receptor, sem danos maiores?
Esta situação ocorre freqüentemente permitindo a compatibilidade.

28.É ético um casal optar por ter mais de um filho apenas em decorrência da necessidade de se encontrar um doador de medula para um outro filho com leucemia?
Permitir a reencarnação sempre é um ato nobre e valioso a um espírito.

29. A que conseqüência espiritual estaria sujeito um doador que vendesse um rim para um receptor necessitado?
A intenção do doador é que será avaliada.

30. Qual a posição de Chico Xavier em relação à doação de órgãos?
Chico Xavier optou por não ser um doador de órgãos.

31.Por que alguns espíritas recusam-se a autorizar, em vida, a doação de seus próprios órgãos após o desencarne?
Questão de foro íntimo.

32.Quem está e quem não está preparado para doar órgãos ao morrer?
As pessoas conscientes de sua decisão e com o firme propósito de auxiliar seus irmãos.

33.Como devo expressar meu interesse em ser doador?
Informe sua família sobre seu desejo de ser doador de órgãos. Não é necessário qualquer registro em nenhum documento. O mais importante é comunicar em vida sua vontade pela doação.

SAIBA MAIS ===> http://www.adote.org.br ( Aliança Brasileira pela doação de orgãos e tecidos )
AJUDEM !! DIVULGUEM !!!

Anúncios
Esse post foi publicado em artigos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s