Caso Ana Garcia de Castro

0ebf2584ac1924abccf368db544e0fce

A família de Ana Garcia de Castro residia na Fazenda Ribalta, de propriedade de Alfredo Vilela de Andrade, na Estação Delta, próxima de Igarapava (Minas Gerais).

Ana, com dezessete anos de idade, teve uma forte gripe e, em conseqüência, passou a sofrer de uma infecção pulmonar; tossia, tinha febre alta, emagreceu demais. Seu pai, Francisco Garcia, empreiteiro na fazenda, procurou em Igarapava o Dr. Pondé; mas, o médico, achando longe a Estação de Delta pediu-lhe que trouxesse Ana ao consultório, o que era impossível devido à fraqueza física e ao fato de que a viagem teria de ser a cavalo. Para livrar-se, então, do caso, receitou o Dr. Pondé alguns comprimidos… E Ana piorava dia a dia. Foi quando o dono da fazenda,  Alfredo Vilela de Andrade, aconselhou Francisco Garcia a procurar Eurípedes Barsanulfo – e deu-lhe, em seguida, uma carta de apresentação, embora desnecessária.

Francisco Garcia seguiu a cavalo  nessa mesma madrugada para Sacramento. Chegou pela manhã. Ao misturar-se com o povo em frente à farmácia “Esperança e Caridade” ouviu, com surpresa, Eurípedes  Barsanulfo dizer alto:

– Acaba de chegar da Estação de Delta um homem com uma carta de meu amigo Alfredo Vilela. Esse homem pode aproximar-se…

Francisco Garcia levou um choque. Como o médium soubera que Alfredo Vilela lhe enviara uma carta? E que o portador desconhecido havia  chegado naquele instante? Ergueu o braço e aproximou-se com o envelope na mão.

– Eis a carta. Vim porque minha filha está muito doente…

– Dê-lhe este remédio. Vai fazer bem! respondeu Eurípedes Barsanulfo, mas com um sorriso…

Francisco Garcia agradeceu, montou no cavalo e regressou à fazenda. E teve uma surpresa: sua filha Ana, sem febre, sem tosse, sem dor nos pulmões, alimentava-se!

Alfredo Vilela, que era espírita, explicou, então:

– Enquanto você foi, de  madrugada, para Sacramento, Eurípedes Barsanulfo, em espírito, atendendo à prece que fiz, veio à fazenda ver Ana! E, materializado por alguns minutos, curou-a. Não há mais necessidade dela ingerir o remédio que Eurípedes lhe deu, sorrindo…

Francisco Garcia converteu-se ao Espiritismo.

O caso que acabamos  de relatar nos foi transmitido em São Paulo pela própria sra. Ana Garcia de Castro.

RIZZINI, Jorge. Eurípedes Barsanulfo: o Apóstolo da Caridade. Correio Fraterno. Capítulo 6.

Euripedes-Barsanulfo

“Irmãos, sede os vencedores da rotina escravizante.
Em cada dia renasce a luz de uma nova vida e com a morte somente morrem as ilusões.
O Espírito deve ser conhecido por suas obras.
É necessário viver e servir.
É necessário viver, meus irmãos, e ser mais do que o pó! “

Anúncios
Esse post foi publicado em artigos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s